Buscar
  • Equipe MiraH

Empreendedores do Século XXI

Todos nós temos características empreendedoras, basta lembrar da capacidade que já existe de criar soluções para problemas do cotidiano. Para isso, tratamos como gestão de conflitos, administração de tarefas e tempo, visualização de cenários negativos e positivos, tomada de decisões, iniciativas, entre outras tarefas que são inerentes ao empreendedorismo. Não quero dizer que todos estarão aptos a criar um negócio ou produto, pois para isso existem outros conjuntos de escolhas e paixões a serem escolhidas. Aliás, paixão é o que move o empreendedor, PAIXÃO é o que move as grandes mentes que executam e fornecem soluções incríveis para a sociedade, seja em pequena escala, como criar de forma exemplar um filho, ou em grande escala, como descobrir a cura para doenças graves, descobrir fontes de energia sustentáveis, etc.


Paixão é o que moveu Steve Jobs a criar produtos inovadores e a ser tão perfeccionista, é o que move Bill Gates, Elon Musk e Warren Buffett. Você pode até questionar que o dinheiro e poder tenha incentivado essas pessoas, mas pare para pensar, somos seres limitados e em um certo momento, os prazeres da carne acabam e o que continua pulsando é um coração ávido por desafios e, insisto, para enfrentar desafios é preciso paixão.

Quando tento orientar sobre o que é ser um empreendedor do século XXI, já antecipo uma pretensão a não ser um vidente com uma bola de cristal sobre a mesa, porque esse século ainda é um jovem buscando seu lugar no mundo e louco por conhecimento. Mas seguindo ao ponto, entendo que o empreendedor de negócios do século XXI deve ser moldado e adaptável como a água, como diria Bruce Lee, ou seja, exatamente como o do século XIX ou XX, o que muda são as ferramentas tecnológicas, comportamentos e as pessoas, terreno de atuação (situação econômica, fiscal, política, segurança para gerir o risco, legislações entre outros) e o mercado a ser escolhido (se é temporal, sustentável, o tamanho do nicho de mercado), para isso precisamos nos atentar sobre alguns pontos.


Evolução

Dizem que a maior invenção da humanidade é a roda, mas a roda só foi possível ser criada, após a evolução de ferramentas e do pensamento humano para que tal feito fosse realizado. Vocês já observaram que toda nova criação advém de criações já existentes? Os celulares sofrem melhorias com base na experiência que o usuário tem nos modelos mais antigos, por isso, eles acabam sendo tão descartáveis. As pessoas estão esperançosas por novidades e quando essas necessidades são supridas elas descobrem que há algo novo que pode ser apresentado. Nós adoramos criar problemas, temos paixão pela solução.

O empreendedor deve evoluir com base nas suas experiências, aprender com todas elas e se permitir a tentar e, porque não, errar. O erro é fundamental para o aprendizado, mas há momentos certos para errar, deve-se limitar o risco. Tenha em mente que somos um conjunto de faculdades que evoluirão para outros talentos.


Tecnologia

Descubra tecnologias, procure soluções que otimizem o tempo, seja o seu, o da sua equipe, de seus clientes e da sociedade como um todo, quanto menor o tempo gasto em rotinas, maior será o tempo para pensar na evolução de suas atividades. E quando falarmos de tecnologia, olhe para outros países e depois para o Brasil, países como China, EUA, Coréia do Sul, Japão entre outros, todos evoluídos em diversos ramos da tecnologia. Entenda um pouco mais sobre como o empreendedor americano e chinês está se relacionando com a tecnologia, referente a meios de pagamentos, logística, inteligência de negócios, inteligência artificial, marketing (que eu prefiro chamar de antecipação de desejos). Ao utilizar algumas ferramentas, que hoje são utilizadas nos países com implantação de tecnologias de ponta, com certeza seremos inovadores aqui no Brasil. O empreendedor deve ter as mãos voltadas ao negócio, mas os olhos voltados para o horizonte em busca de novidades.


Pessoas

Pessoas, por incrível que possa parecer, ainda são fundamentais para a atividade empresarial e essa é a parte que eu mais me encanta. Relacionamento. Vivemos tempos de conflitos, onde as pessoas se questionam constantemente sobre suas atitudes, ser ou não politicamente correto, aceitar e compreender ou não as diferenças entre nós, se comemos coxinha ou mortadela, mas são as diferenças entre nós que nos tornam fantasticamente iguais. É necessário que o empreendedor desse século compreenda como pensa o ser humano, porém, antes disso, precisa se entender, se conhecer, ter controle emocional total. A neurolinguística deve ser estudada, assim como a autorreflexão.


A forma de consumir das pessoas está em constante mudança e não se pode perder esse olhar. Muita coisa que você acredita que é seu hoje, amanhã não será mais. A tendência do compartilhamento é evidente, hoje as pessoas compartilham imagens, conhecimento, indicações, carros, casas, experiências. O sucesso do vulgarmente chamado “empreendedorismo de palco”, nada mais é do que o compartilhamento de energia, garra, incentivo, dicas, conhecimento e network. Podemos nos ajudar constantemente. Entenda as características das gerações antes e depois da internet, os Babies Boomers e as gerações X, Y e Z e Alpha, seu produto, estudo ou serviço deve atender, em maior escala, a forma de pensar dessas pessoas. Eles são os seus clientes.


Sua equipe e seus clientes são seus parceiros, você precisa ganhar, mas eles não precisam perder para que isso aconteça. Nós estamos aqui para incentivar e agradar as pessoas sem ferir nossa integridade moral, o sucesso vem naturalmente, o dinheiro é apenas o fruto da qualidade dos produtos e serviços que você presta. O empresário do século XXI precisa ser cada dia mais apaixonado por pessoas, “paixão por gente”, por entregar o seu melhor, por acreditar, por estender a mão, compartilhar conhecimento e agregar com soluções. Chega de pensar somente em você!


Foco inteligente

Clóvis de Barros Filho diz que quando ele encontrou algo que gerou paixão no coração dele ele resolveu seguir tal atividade e não deu um passo para trás, nem para pegar impulso. O foco deve ter importância fundamental na vida do empreendedor, haverá uma seleção natural durante sua jornada, alguns morrerão no meio do caminho, alguns avançarão se arrastando, mas outros não se cansarão e seguirão em frente sabendo realmente o que querem. Tenho uma amiga que simplesmente tatuou um unicórnio no braço, para lembrar que a empresa para a qual ela desenvolve seu trabalho será em pouco tempo, a maior empresa dessa categoria (com valor de mercado acima de 1 bilhão de dólares) e não tenho dúvidas que realmente isso vai acontecer.

O novo empreendedor não coloca o seu foco em canoas furadas, embora o erro seja fundamental para o desenvolvimento, a insistência em operações travadas não pode existir. Tenha foco nas atividades que levam aos seus objetivos e, me perdoem, mas preciso lembrá-los novamente, o seu objetivo deve ser o que te move, a sua paixão, assim ficará muito mais fácil de se planejar para que isso aconteça. Analisem quantas tarefas você realiza diariamente que não te levarão de encontro a sua meta. Elimine-as! Muitas atividades podem ser cruelmente difíceis de serem executadas, principalmente as que te levarão ao topo, mas ativando sua missão e seu propósito, tudo pode ser realizado com uma carga mais leve.

O assunto é vasto e carece de muito estudo e conhecimento, faltam 81 anos para estudarmos o empreendedor do século XXI e espero que vocês possam compor as linhas das obras que farão tal análise.



“Preparação, planejamento, Foco e Fé”

Débora Santos – Diretora MiraH Assessoria

4 visualizações
  • White LinkedIn Icon
  • https://www.facebook.com/mirahassess
  • White Instagram Icon

© 2018 por DG Agência